Entenda a queda de cabelo após ter covid-19

Entenda a queda de cabelo após ter Covid
Especialista explica que isto pode ocorrer após infecções virais ou bacterianas

Dentre os sintomas da Covid-19 que podem persistir por alguns meses após a recuperação da doença, está o aumento na queda de cabelo, sintoma que pode ocorrer não só no caso da Covid, mas em outros episódios também, e geralmente surge entre 6 a 8 semanas, embora, no caso da Covid, os especialistas venham registrando ocorrências mais precoces, em torno de 30 a 45 dias após a doença.

Conforme explica a dermatologista Ana Lísia Giudice, presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia, regional Bahia (SBD/BA), essa queda de cabelo, chamada eflúvio telógeno, é esperada após infecções virais ou bacterianas, e viroses que causam estresse fisiológico. A queda de fios, já em fase telógena (mortos), é uma estratégia usada pelo organismo. “É uma resposta a um insulto que pode ser desde uma dieta restritiva, a cirurgias, procedimentos invasivos, infecções virais e bacterianas, e mesmo decorrente de uma perda emocional impactante. E com a Covid, não é diferente. Geralmente, após a doença, há o desprendimento, a queda de fios já mortos, que normalmente ocorre em torno de 3 meses. No caso da Covid, está mais precoce”, alerta a dermatologista.

Tratamento

A especialista alerta que essa queda de cabelo é autolimitada, ocasionada por um gatilho prévio sobre o qual não se pode mais agir, mas vai passar. Entretanto, é recomendado procurar um dermatologista para avaliar se há outras situações ou motivos que possam prolongar ou agravar o quadro. “A média diária de queda de cabelo é de 40 a 100 fios, variando individualmente. Se o paciente notar um aumento nesta queda diária capilar, deve procurar um especialista para avaliação”.

A presidente da SBD/BA ressalta que a medicina capilar e o estudo das doenças do cabelo e do couro cabeludo têm evoluído muito em todo mundo, e existem diversas possibilidades e opções terapêuticas. Mas para diagnóstico e tratamento de alterações, seja do couro cabeludo, sobrancelhas, cílios e pelos corporais, o indicado, para quaisquer que sejam as queixas capilares, é procurar um médico dermatologista. “Ele é o especialista capaz de avaliar e conduzir de forma ética e embasada cientificamente”, reforça a presidente da SBD/BA.

Além da queda de cabelo (25%), as pesquisas mostram que os outros sintomas da Covid têm persistido a longo prazo: fadiga (58%); cefaleia/dores de cabeça (44%); distúrbio de atenção (27%); e dispneia (24%).

Fonte ABM + Saúde

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta