Você sabia que o óleo de coco também traz benefícios para a região íntima? O produto natural hidrata, lubrifica, higieniza e até previne a candidíase. A recomendação é do ginecologista e obstetra Thiago Gester. Confira as vantagens que o produto traz para a saúde íntima feminina.

A região íntima da mulher é a parte do corpo feminino que liga o útero e o colo para o exterior e por ser uma região úmida e nada arejada, é preciso ter muito cuidado, fazer uma higiene adequada diariamente pode evitar diversos tipos de sintomas como: dor, coceira, ardor, odor e secreções.

Prevenir candidíase

O óleo de coco é usado para combater esta infecção fúngica devido à presença de poderosos ácidos graxos de cadeia média. O ácido láurico dá um impulso ao sistema imunológico e desacelera o crescimento excessivo de células fúngicas, enquanto o ácido caprílico ataca as células da levedura, impedindo que se espalhe.

“O óleo de coco é um produto natural, sem minerais ou componentes químicos pesados, que além de ajudar a manter a região sempre hidratada, tem ação bactericida e antifúngica (lembremos que a candidíase é causada por um fungo, sendo assim, o óleo de coco pode trazer benefícios no sentido de prevenir estas e outras afecções)”, revela gester.

Secura vaginal

A secura vaginal pode ser definida pela lubrificação insuficiente no colo do útero, o que leva a inflamação e desgaste das paredes vaginais. Pode ser identificado por uma sensação de picada, coceira ou queimação na vagina e mesmo por dor ou hemorragia leve durante o sexo. A secura vaginal é geralmente causada por baixos níveis de estrogênio.

“Pessoas com problemas de lubrificação ou que estão na menopausa podem usar e abusar dessa ‘belezinha’. Precisamos só ficar atentas com a maneira correta de armazenar, prazo de validade e se teremos alergia ao coco”, orienta o ginecologista

Lubrificante natural

Lubrificante natural
Lubrificante natural | Foto: Divulgação
“O óleo de coco também é maravilhoso para ser usado na hora da transa. Para quem sente dor na relação sexual por falta de lubrificação, o óleo de coco pode ser um poderoso aliado. Mas devemos sempre lembrar de evitar o óleo de coco quando formos usar camisinha, pois o produto pode danificar o preservativo”, aconselha o médico.

Usar após a depilação

“Para quem se depila é interessante usar o óleo de coco após a depilação. O bom é que você pode passar ele em toda a vulva e também na vagina (que é a parte mais interna), pois ele ajuda no ressecamento e previne fissuras/rachaduras”, aconselha.

Massagens eróticas

Uma massagem sensual é a maneira perfeita de criar intimidade e aliviar o estresse. O óleo de coco pode ser um elemento interessante em uma massagem sensual: ele cheira bem, tem um gosto bom, é hidratante e pode ser muito bem aproveitado por você e seu parceiro

“Aquelas pessoas que têm o hábito de fazer massagens perineais. Dá para associar o óleo de coco com diversas técnicas que existem (e se você não tem o hábito de se tocar, pode aproveitar essa deixa para aprender)”, recomenda Thiago.

Outros Benefícios

Outros benefícios do óleo de coco incluem cuidados com o cabelo, cuidados com a pele, alívio do estresse, manutenção do nível de colesterol, perda de peso, estimulação do sistema imunológico, digestão e regulação do metabolismo. Ele também fornece alívio de problemas renais, doenças cardíacas, hipertensão arterial, diabetes, HIV e câncer, ajuda a melhorar a qualidade dos dentes e dos ossos. Essas vantagens do óleo podem ser atribuídas à presença de ácido láurico, ácido cáprico e ácido caprílico e suas propriedades respectivas, como antimicrobianos, antioxidantes, antifúngicas, antibacterianas e calmantes.

óleo de coco
Confira as vantagens que o produto traz para a saúde íntima feminina | Foto: Divulgação
Sobre o óleo de coco

O óleo de coco, azeite de coco ou manteiga de coco é um óleo vegetal que contém cerca de 90% de ácidos graxos extraídos mediante prensagem da polpa ou cerne dos cocos (cocos nucifera). Ele é muito utilizado na indústria dos cosméticos (para elaboração de sabões e cremes) e também na gastronomia de alguns países asiáticos.

O óleo de coco pode ter propriedade medicinal e não está provado que possa causar danos à saúde. Embora muitos especialistas afirmem que possa ser prejudicial, há algumas evidências científicas de que o seu consumo por humanos e animais propicie melhorias na saúde e ajude a prevenir certas doenças.

Existem dois tipos de óleo de coco: o refinado e o extravirgem. O primeiro é feito a partir do coco seco, enquanto o segundo é feito com o coco fresco. Normalmente, o óleo de coco é encontrado em estado líquido em altas temperaturas, só ficando sólido e branco abaixo de 25 graus. O normal é que ele não estrague ou fique rançoso mesmo quando armazenado há algum tempo. Hoje ele pode ser encontrado para vendas no estado líquido ou em cápsulas.

Fonte: Em Tempo

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta