Dicas para evitar a depressão e a ansiedade durante o confinamento por causa da pandemia de coronavírus

O isolamento social decorrente da pandemia de coronavírus afetou drasticamente a rotina de milhões de pessoas.

Muitos nunca precisaram enfrentar o confinamento em casa, e com essa mudança repentina dos hábitos diários, não é raro que muita gente tenha apresentado algum desequilíbrio emocional. A atmosfera de incerteza e insegurança faz com que muitas pessoas apresentem sintomas de ansiedade, e o distanciamento social contribui para o agravamento de quadros depressivos. O psiquiatra Antônio Geraldo da Silva, presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria, explica que o período de quarentena interfere na saúde mental da população de três maneiras.

– Pessoas que nunca tiveram quadros psiquiátricos podem vir a ter; pessoas que já tiveram quadros psiquiátricos e que estavam controlados podem apresentar recaídas; e pacientes que estão em tratamento psiquiátrico podem apresentar alterações e perdas na evolução positiva que tiveram com o tratamento. Uma pessoa que nunca teve transtorno de ansiedade, por exemplo, pode ter como gatilho as notícias que recebe com frequência sobre o Covid-19. A preocupação constante, as alterações no sono e apetite para mais ou para menos, a sensação de perigo iminente, são alguns sintomas nos quais devemos prestar atenção – esclarece o psiquiatra.

Para ajudar a lidar melhor com essa mudança repentina no dia-a-dia, reunimos algumas dicas de especialistas para preservar a saúde mental durante o período de isolamento social.

Rotina em casa: cozinhe mais e estabeleça horários para trabalho, lazer, exercícios e meditação — Foto: Istock Getty Images

1. Estabeleça uma rotina

A quarentena obrigou muitas empresas a adotarem o trabalho remoto, e muitos profissionais já alegam estar trabalhando muito mais horas por dia durante este período. Já alguns setores suspenderam suas operações e dispensaram seus funcionários para que eles fiquem em casa. Independentemente de qual for o seu caso, o ideal é manter uma rotina de horários. Busque acordar no mesmo horário, realizar todas as refeições de costume e se desligar do trabalho após o fim do expediente.

2. Exercite-se

Exercite-se em casa, mas escolha uma atividade física que te dê prazer — Foto: Istock Getty Images

É consenso entre os especialistas que a prática de atividades físicas auxilia nos tratamentos de ansiedade e depressão. Além disso, os exercícios são importantes para a manutenção da nossa imunidade, como explica o psiquiatra Antônio Geraldo da Silva.

– A saúde mental tem ligação direta com a nossa imunidade. Doenças como depressão e ansiedade podem afetar o nosso sistema imunológico e diminuem a defesa natural que temos em nosso organismo para outras patologias. Com a diminuição da imunidade, podemos ficar mais suscetíveis ao desenvolvimento de outras doenças. Por isso, é tão importante cuidarmos da alimentação e da manutenção das atividades físicas mesmo durante a pandemia.- ressalta o presidente da ABP.

Presidente da Associação Brasileira de Psicologia do Esporte, Thabata Telles enfatiza que as pessoas têm reagido de maneiras diferentes durante o isolamento em relação à prática de exercícios. Entretanto, para todos os casos é necessário manter um processo de motivação para que ninguém abandone os treinos durante a quarentena.

A cobrança para se manter ativo e produtivo durante este período também pode ser muito prejudicial, já que pode desencadear ansiedade nos indivíduos. Cada pessoa deve escutar seu corpo e respeitar seu tempo, e por isso o autoconhecimento é muito importante.

– Você não deve se movimentar porque viu uma pessoa no Instagram fazendo exercícios, mas sim porque sente a necessidade e vontade de fazer. Avalie qual tipo de exercício que você mais gosta e faça. Pode ser que um dia você esteja mais disposto a fazer alongamento; em outro dia, queira fazer cardio; e, em outro, queira trabalhar a força. Então, é preciso escutar o corpo, fazer a atividade sem cobrança e focar no bem estar – recomenda Thabata.

Aproveite o tempo livre para cozinhar mais e comer alimentos mais saudáveis. Durante a pandemia, é imprescindível ingerir alimentos que auxiliam na imunidade e fornecem vitaminas e minerais essenciais. Mas isso não quer dizer que não podemos comer um docinho de vez em quando, como explica Thabata.

– Quando estamos estressados tendemos a consumir alimentos que trazem um certo conforto. Então, não damos atenção aos bons alimentos que podem nos ajudar na concentração e disposição. Isso não quer dizer que nunca podemos consumir esses alimentos de conforto, mas é importante dar atenção também aos alimentos que nos dão mais disposição e energia – ressalta a psicóloga.

3. Medite

Para iniciantes, uma boa alternativa é experimentar a meditação guiada — Foto: Istock Getty Images
Para iniciantes, uma boa alternativa é experimentar a meditação guiada — Foto: Istock Getty Images

Para iniciantes, uma boa alternativa é experimentar a meditação guiada

Uma prática que tem se tornado muito popular é a da meditação. Existem diversos aplicativos para celular, vídeos no Youtube e livros que podem ajudar a entender as técnicas para desenvolver a atenção plena e treinar o seu cérebro para ser mais consciente e focado. Para iniciantes, uma boa alternativa é experimentar a meditação guiada.

4. Dedique tempo para se entreter

É importante estabelecer um momento do dia se fazer o que gosta, relaxar e se desligar um pouco. Colocar a leitura em dia e ver filmes e séries é uma ideia. Dedicar-se a um hobby é outra.

5. Atenção à qualidade e à quantidade de notícias

Muito se fala nas últimas semanas sobre o consumo de informações sobre o Covid-19. Infelizmente, a propagação de fake news sobre o vírus gerou mais ansiedade e transtornos para as pessoas. Por isso, neste momento é muito importante se atentar às notícias que são recebidas de amigos e familiares. Sempre confira a fonte da informação e tome muito cuidado ao repassar conteúdos para os conhecidos.

Além da desinformação, o consumo de notícias pode ser um gatilho de ansiedade para muita gente. Entretanto, não existe uma regra geral para todo mundo e é necessário o autoconhecimento, como explica Thabata Telles.

– Algumas pessoas se sentem melhor ao saber o que está acontecendo, pois elas se sentem mais seguras, mas outras não. A mesma informação pode ser avaliada de uma forma boa e de uma forma ruim, dependendo da pessoa. Então se o indivíduo perceber que está ficando mais nervoso com as notícias, se desligar das informações é uma ótima alternativa. Mas existem pessoas que estão sozinhas, sem contato com ninguém, então ficar informado sobre o que está acontecendo pode ajudá-las a se sentirem mais protegidas. – explica a psicóloga.

Uma dica é ler (ou ver) o noticiário apenas duas vezes por dia, sem ficar checando o celular a todo o momento.

6. Converse com a família e amigos

Mesmo que não seja possível visitar a família e os amigos ou frequentar bares e festas, manter o contato com outras pessoas é fundamental. Procure ligar para os mais próximos, conversar por aplicativos de mensagem ou até mesmo por videochamada. Neste momento, é muito importante conferir se todos estão bem, trocar experiências e oferecer apoio para quem precisa. E, de quebra, receber um pouco de suporte emocional também. Manter contato nos faz sentir menos sozinhos.

7. Alimente-se corretamente

Cozinhar alimentos é mais saudável do que comprar produtos embalados prontos — Foto: iStock Getty Images
Cozinhar alimentos é mais saudável do que comprar produtos embalados prontos — Foto: iStock Getty Images

Cozinhar alimentos é mais saudável do que comprar produtos embalados prontos — Foto: iStock Getty Images

Aproveite o tempo livre para cozinhar mais e comer alimentos mais saudáveis. Durante a pandemia, é imprescindível ingerir alimentos que auxiliam na imunidade e fornecem vitaminas e minerais essenciais. Mas isso não quer dizer que não podemos comer um docinho de vez em quando, como explica Thabata.

– Quando estamos estressados tendemos a consumir alimentos que trazem um certo conforto. Então, não damos atenção aos bons alimentos que podem nos ajudar na concentração e disposição. Isso não quer dizer que nunca podemos consumir esses alimentos de conforto, mas é importante dar atenção também aos alimentos que nos dão mais disposição e energia – ressalta a psicóloga.

8. Durma bem

Desligue os eletrônicos na hora de dormir — Foto: Getty Images
Desligue os eletrônicos na hora de dormir — Foto: Getty Images

Desligue os eletrônicos na hora de dormir — Foto: Getty Images

Dormir a quantidade necessária de horas diárias ajuda a melhorar nossa imunidade, mas infelizmente a rotina atarefada e estressante nem sempre os permite ter um sono de qualidade. Aproveite este momento para dormir bem e descansar o seu corpo. Evite desregular seu horário de sono ou dormir mais do que o necessário. A rotina caseira pode acabar desregulando os horários e nos fazer passar madrugadas ligados na TV ou no celular. Estabeleça horário para deitar, apague as luzes e desligue todos os eletrônicos.

Fonte inspiração EU Atleta /G1

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta